sexta-feira, 18 de abril de 2014

PETRÓLEO E CORRUPÇÃO Uma indústria financiada pela guerra



PETRÓLEO E CORRUPÇÃO

Uma indústria financiada pela guerra

Wladmir Coelho

A associação entre indústria petrolífera mundial e corrupção não constitui novidade e não seria exagero afirmar que as grandes empresas de nossos dias prosperaram amparadas em dinheiro de origem, no mínimo, suspeita.

Nos Estados Unidos, por exemplo, John Davison Rockfeller prosperou em seus negócios de transportes graças aos favores do governo durante a Guerra Civil (1861-1865) e ao término do conflito passou a investir na exploração petrolífera criando o truste Standard Oil.

Na Europa o processo de crescimento da indústria petrolífera não foi diferente. Os ingleses, no inicio do século XX, perceberam a vantagem da utilização dos combustíveis derivados do petróleo para movimentar seus navios de guerra e comerciais, mas ao contrário dos estadunidenses não possuíam reservas em terra.
A solução do império britânico foi muito simples. O Estado comprou 51% da Anglo Persian Oil Company e subornando a monarquia iraniana passou a controlar as áreas com potencial petrolífero garantindo deste modo o combustível do imperialismo.

No caso inglês devemos observar que embora financiada pelo Estado a Anglo Persian Oil Company, desde 1954 denominada British Petroleum, era administrada por seus antigos controladores ficando o governo em minoria em seu conselho. Uma divisão interessante na qual o Estado entrava com diplomatas, subornos e quando isso tudo falhava utilizava a bala dos canhões. Aos empresários restava apenas contabilizar os elevados lucros.

Enquanto a Anglo Persian controlava o Irã o império promovia a fusão de uma empresa de exploração petrolífera holandesa a Royal Dutch Petroleum com uma transportadora marítima inglesa denominada Shell. Desta fusão nasceu o truste que dominou o transporte e fornecimento de combustíveis durante a Primeira Guerra Mundial.


Observe: Os trustes petrolíferos tem sua origem no apoio dos estados imperialistas e sua primitiva forma de financiamento encontra-se na guerra. Esta é a “ética” empresarial destes grupos. 

Um comentário:

Pedro Porfírio disse...

Belíssima aula. Vou guardar como indicativos para matérias futuras.

Arquivo do blog