quarta-feira, 4 de março de 2015

QUE SABE VOCÊ SOBRE PETRÓLEO Parte 3





QUE SABE VOCÊ SOBRE PETRÓLEO

Parte 3

A iniciativa privada

Wladmir Coelho

Durante o império foram autorizadas concessões para exploração petrolífera no Brasil com duração média de 90 anos com direito a prorrogação por igual período. O objetivo dos concessionários era fornecer combustível para iluminação pública e graxa para engrenagens.

Destas atividades exploratórias destacou-se o empreendimento do inglês John Grant na cidade de Maraú na Bahia.

A principal dificuldade desta iniciativa foi a concorrência dos combustíveis importados dos Estados Unidos. Naquele país o truste da Standard Oil, após 1870, iniciava sua trajetória de controle do mercado contando ainda com subsídios do governo aspecto não verificado no Brasil do período imperial.

Estas vantagens da Standard Oil  tornavam o produto nacional mais caro inviabilizando a continuidade do empreendimento. Registrou-se assim a primeira derrota do Brasil para os trustes.
A concorrência desleal dos trustes vai atravessar o período imperial tornando-se mais evidente durante as primeiras décadas da república. O método utilizado para impedir a criação de empresas petrolíferas privadas no Brasil era o seguinte:

Entre 1891 e 1934 a Constituição garantia ao proprietário do solo o direito ao subsolo. Desta forma a Standard Oil, ao verificar o interesse de um grupo brasileiro em iniciar a exploração, imediatamente utilizava o seu poder econômico para comprar ou arrendar as áreas com potencial produtivo.

Quando falhava o poder econômico recorria-se ao ataque direto através de ameaças, assassinatos ou difamação através da imprensa. O escritor Monteiro Lobato foi uma das vítimas destes métodos.
O interesse da Standard Oil foi garantir no Brasil uma espécie de reserva e controle dos preços através da eliminação de um potencial concorrente e neste sentido foram vitoriosos. Durante as primeiras cinco décadas do século XX a iniciativa privada não conseguiu criar uma indústria petrolífera nacional em condições de oferecer a sonhada auto-suficiência.


Durante meio século o poder econômico do truste conseguiu derrotar todas as iniciativas inclusive aquelas que defendiam, pelo menos, a construção de refinarias nacionais. Continua...

Nenhum comentário:

Arquivo do blog